Editorial A expertise e a humanização da Odontologia

///Editorial A expertise e a humanização da Odontologia

Editorial A expertise e a humanização da Odontologia

A história da Odontologia percorre séculos incontáveis séculos de descobertas.  Nossos antecessores sofriam para entender o que provocava a perda os dentes e o paciente sofria mais ainda com a dor as tentativas de erros e acertos. Ao longo dessa trajetória, estamos, hoje, frente a frente com os sucessivos avanços até os atuais e reais desafios tecnológicos e digitais presentes no dia-a-dia dos consultórios.

Porém, na proximidade do dia dedicado no Brasil ao Cirurgião-dentista – 25 de Outubro, uma questão relevante nos leva à reflexão: quantos de nós, realmente estão aptos a levar adiante a missão de cuidar da saúde bucal, e consequentemente da saúde integral do ser humano, dentro de parâmetros de excelência e de humanização?

E quando falamos de excelência, não falta ao cirurgião-dentista brasileiro a larga oferta de cursos de especialização que o prepara para desempenhar seu papel, mas não nos referimos apenas à sua capacidade técnica, e sim à humanização inerente ao profissional de saúde.

Hoje a Odontologia vai além das paredes do consultório odontológico moderno e bem equipado e se instala nos ambientes hospitalares, se estende ao tratamento dentário aliado aos esportes, ao acompanhamento dos primeiros momentos da criança e das últimas décadas de vida do ser humano na odontogeriatria, nas especificidades dos pacientes especiais, entre outras.  E para todas estas especialidades há muito aperfeiçoamento, pós-graduação, treinamento que capacitam o cirurgião-dentista de modo exemplar. E é preciso também desenvolver o lado humano que a Odontologia exige desde o início da consulta, para estabelecer um vínculo de confiança com o paciente que vai durar até o final.

Porém, há ainda um lado do qual não falamos: o voluntariado, seja nas mais diversas formas, na dedicação de tempo extra ao ser humano desassistido, ao que está em asilos, refém da ignorância sobre doenças e riscos à saúde, aos alcoolistas, aos viciados, e mesmo àqueles que perambulam e vivem pelas ruas, sem as mínimas condições de uma sobrevivência digna.

Para esse voluntário que dirige sua atenção aos que nada tem, nem um teto nem alimento e muito menos saúde e saúde bucal, temos que reconhecer nele o exemplo da humanização na Odontologia, seja um acadêmico, um especialista ou um Prof. Dr. Nessa cátedra são todos iguais e é exatamente isso que os torna diferentes e profissionais abnegados.

A ABCD sente muito orgulho do cirugião-dentista brasileiro, por suas conquistas, seu empenho e expertise, colocando a nossa Odontologia entre as melhores do mundo, mas também reconhece o valor e o brio daqueles que dedicam parte de seu tempo a fazer o bem. Nas campanhas do Sorria para a Vida, que realizamos há quatro anos ininterruptos, perto de 700 voluntários já deram parte de seu valioso tempo a atender pessoas que carecem não só de recursos, mas de atenção e informação que as conscientizem sobre a importância de cuidados com a saúde bucal e os riscos a que se expõem.

A todos os 290 mil cirurgiões-dentistas brasileiros, os parabéns pelo seu dia. Mais que isso, parabéns por terem escolhido uma profissão que, apesar de lidar com a dor, traz de volta o sorriso a quem passa por suas mãos.

Silvio Cecchetto

Presidente da ABCD

2017-10-20T15:56:41+00:00 outubro 20th, 2017|Categories: Eventos, Notícia|0 Comentários