BOTUCATU – Dia 11/11: Praça Comendador. Emílio Pedutti ABCD FAZ DETECÇÃO PRECOCE DE CÂNCER BUCAL GRATUITA À POPULAÇÃO

///BOTUCATU – Dia 11/11: Praça Comendador. Emílio Pedutti ABCD FAZ DETECÇÃO PRECOCE DE CÂNCER BUCAL GRATUITA À POPULAÇÃO

BOTUCATU – Dia 11/11: Praça Comendador. Emílio Pedutti ABCD FAZ DETECÇÃO PRECOCE DE CÂNCER BUCAL GRATUITA À POPULAÇÃO

 

Tabaco, álcool e HPV são fatores de risco.

Jovens e idosos têm maior incidência da doença,

que atinge 15.500 brasileiros/ano.

Qualquer lesão que não cicatrize em 15 dias é suspeita.

Câncer bucal mata 5.500 pessoas/ano.

Detecção precoce aumenta em 90% a chance de sobrevida.

 

A Associação Brasileira de Cirurgiões-dentistas (ABCD) realiza a Campanha Sorria para a Vida de detecção precoce de câncer bucal gratuita, no próximo dia 11 de novembro (sábado), das 9 às 16h, na Praça Comendador Emílio Pedutti (Praça do Bosque, em frente à Agência do Banco do Brasil da Rua Armando Barros – Centro de Botucatu). Trabalham no evento e na organização local, cirurgiões-dentistas voluntários da APCD Regional Botucatu, além dos gestores das entidades promotoras para o diagnóstico aprofundado de lesões e tratamento.

PORTA VOZ local:  Dra Luciana G.P. Chaguri, presidente da APCD Regional de Botucatu.

EVENTO: O exame é gratuito, rápido, indolor e seguro. Qualquer pessoa pode ser examinada, principalmente idosos, fumantes, usuários de próteses dentárias e adolescentes, comenta o presidente da Associação Brasileira de Cirurgiões-dentistas (ABCD) Sílvio Cecchetto. Os casos suspeitos serão encaminhados para biópsia em centros especializados e caso o diagnóstico de câncer bucal seja confirmado, o paciente passará a receber o tratamento indicado para a doença.

O câncer de boca surge, geralmente, como uma úlcera (ferida) indolor sem cicatrização. No entanto, a doença também pode se manifestar em formas de manchas e caroços. O câncer bucal é uma doença silenciosa e grave. O Brasil tem a terceira maior incidência da doença no mundo, perdendo apenas para a Índia e para a República Tcheca. “O diagnóstico precoce pode reduzir o índice de óbitos, que chega a um terço dos casos”, explica o presidente da ABCD. Nos últimos anos, o HPV – por sua rápida disseminação entre jovens e idosos – tem sido um dos fatores de risco para o câncer bucal.

DADOS RELEVANTES: No mundo são 350 mil novos casos/ano. Brasil está em 3º lugar de maior incidência.

Para conscientizar a população sobre os riscos do câncer bucal e evitar novos casos fatais, a Associação Brasileira de Cirurgiões-dentistas (ABCD) realiza desde 2014 a Campanha Sorria para a Vida. Cirurgiões-dentistas voluntários da entidade fazem a detecção precoce do câncer bucal – doença que atinge 15.500 brasileiros e destes 5.500 morrem a cada ano. Os exames são gratuitos e têm por finalidade salvar vidas, pois a doença mata se não for diagnosticada e tratada precocemente, destaca o presidente da ABCD, Silvio Cecchetto.

70 AÇÕES – A Campanha Sorria para Vida é realizada pela ABCD, Associação Paulista de Cirurgiões-dentistas (APCD) Conselho Regional de Odontologia (CRO-SP) e Associação Brasileira da Indústria Brasileira de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios (Abimo). Chegam a 70 as ações realizadas, com 22.773 atendimentos e 1.215 lesões diagnosticadas e encaminhadas para tratamento, desde 2014. O trabalho voluntário já motivou perto de 700 cirurgiões-dentistas voluntários a trabalhar nas ações. Neste ano ainda vão acontecer outras ações da Campanha Sorria para a Vida até o mês de dezembro.

PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA MUNDIAL – O câncer bucal é um problema sério de saúde pública mundial. Estima-se que 350 mil novos casos ocorram no mundo e o Brasil fica atrás apenas da República Tcheca e da Índia, ocupando o 3º lugar de maior incidência da doença e, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca),  São Paulo é a cidade que possui o maior índice no País – 3 mil novos casos de câncer bucal por ano. De acordo com o Instituto de Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), 83% dos homens com câncer de cabeça e pescoço são ou já foram fumantes. Dos pacientes tratados, as vítimas de tumores localizados na boca representam 60% e na faringe ou laringe, 40%. Estima-se que 8 entre 10 dos cerca de 15.500 casos previstos serão descobertos em fase avançada, o que dificulta e limita o tratamento da doença.

HPV: JOVENS e IDOSOS – Os tumores relacionados ao HPV possuem taxa de cura superior ao daqueles associados ao tabaco e álcool, porém também devem ser diagnosticados em estágio precoce. Apesar disso, o HPV teve crescimento significativo nos últimos anos entre adolescentes (estimado em 300%) e idosos. Em adolescentes, pela maior liberalidade de costumes. Eles devem ser vacinados e serem conscientizados sobre o fato de que não é preciso contágio sexual, basta contato sexual para a contaminação do HPV.  Já entre os idosos, pela atual longevidade desta população, também estão mais expostos e devem ser informados dos riscos do HPV para o câncer bucal por sexo desprotegido.

DIAGNÓSTICO  – A detecção precoce pode auxiliar no controle do câncer bucal e aumentar em 90% as chances de cura. Este tipo de câncer é perigoso e é imprescindível  a detecção precoce de lesões bucais, feita por cirurgião-dentista, seguida de encaminhamento para exames aprofundados e tratamento especializado no caso de lesões.  Dependendo da fase em que é diagnosticado o câncer bucal, a chance de sobrevida pode ser de 90%, mas infelizmente muitas pessoas ainda não se conscientizaram disso. De 70% a 80% dos pacientes que procuram tratamento já estão com a doença em estágio avançado.

LESÕES– O câncer de boca pode aparecer no formato de uma úlcera, tipo ferida ou afta que demora a cicatrizar. Pode-se verificar também um aumento de volume e alterações de cor, como manchas brancas, vermelhas e/ou pretas na região do palato (céu da boca). Podem aparecer, ainda,  papilomas, que são como verrugas na garganta e na boca. Os principais sintomas da doença são dores constantes, dor na língua, nódulos, dificuldade de mastigar, rouquidão e mau hálito persistente.  Qualquer lesão que não cicatrize em até 15 dias deverá ser avaliada por um profissional capacitado. As áreas mais afetadas pela doença são a língua e o assoalho de boca. O lábio inferior também, tendo como principal causa a radiação solar.

PREVENÇÃO –  “A melhor forma de prevenir a doença é visitar periodicamente o cirurgião-dentista e evitar fatores de risco que favoreçam o câncer bucal”, afirma Silvio Cecchetto. Deixar de fumar – a mistura de tabaco e álcool potencializa o perigo de câncer bucal -, usar camisinha, dieta alimentar saudável contribuem para a prevenção do câncer bucal. Fontes: Hospital da Face, Inca, Icesp e OMS

 

Mais informações à Imprensa (SP)

Editabr Comunicação e Editora – Alameda Santos, 1398,
conj. 43, CEP: 01418-100 São Paulo – SP – Brasil
+55 11 3253.6485 / 8182.9124 – edita@editabr.com.br
2017-11-01T13:52:27+00:00 outubro 31st, 2017|Categories: Eventos, Notícia|0 Comentários