Prevenção, alertas e engajamento também são papeis da Odontologia

///Prevenção, alertas e engajamento também são papeis da Odontologia

Prevenção, alertas e engajamento também são papeis da Odontologia

Metade do ano já passou. Mas há tempo, ainda, de lembrar a importância do dia 28 de Julho, Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, e o papel que a Odontologia deve exercer, como área de Saúde, conscientizando a população. No Brasil, mais de 1 milhão de pessoas morrem devido à doença. Prevenção é sempre a melhor regra: evitar transmissões sanguíneas, higienizar os alimentos, as mãos, usar preservativos, não compartilhar alicates, lâminas de barbear, fazer testes de sangue periódicos e vacinar-se (hepatites A e B).

Mirando agosto, o mês começa com a Semana Mundial da Amamentação (1/8), que tem grande papel na boa saúde dos bebês e das crianças, influindo diretamente na correta formação da arcada dentária dessas faixas etárias e construindo sorrisos para a vida adulta (veja mais em Agosto Dourado).

O mês de agosto tem outra data, 29/8, Dia Nacional de Combate ao Fumo, que serve de alerta para que o profissional de Odontologia se engaje nesta luta que salva vidas, sendo o porta voz desta campanha. O papel do cirurgião-dentista vai além da cadeira odontológica e deve se estender ao conceito de que a boca está integrada à saúde geral e vice-versa.

Agosto Dourado

Pesquisa publicada no periódico The Lancet mostra que a amamentação está associada a uma redução de 13% na probabilidade de ocorrência do sobrepeso e/ou obesidade e também a uma queda de 35% na incidência do diabetes tipo 2. A mesma análise diz que o leite materno contribui para um aumento médio de três pontos no quociente de inteligência (QI). Outra evidência científica mostra que crianças amamentadas por um período superior a 12 meses em áreas urbanas do Brasil completaram um ano a mais de atividades educacionais em comparação com as amamentadas por menos de 12 meses. Ambas as conclusões indicam que o aleitamento contribui com o cumprimento do ODS 4 (Qualidade na educação)

As mães precisam estar aptas para amamentar desde a gestação, para não perderem o estímulo desse importante ato quando o bebê nascer. Segundo a OMS, apenas 39% das crianças brasileiras são amamentadas.

Saúde bucal – Outro fato importante da amamentação é a origem da saúde bucal, que começa com o ato de sugar o leite e vai além da nutrição, mas garante também a boa formação da futura dentição.

O cirugião-dentista tem papel de destaque nesta conscientização. O aleitamento materno traz muitos benefícios à saúde bucal da criança. Algumas delas: o esforço realizado para sugar o leite da mãe estimula o bom desenvolvimento da estrutura óssea do bebê e dos músculos da face.

A amamentação também reduz o risco da aquisição de hábitos nocivos como chupar o dedo ou a chupeta, além de diminuir a probabilidade do desenvolvimento de cáries, mais comum naqueles que tomam mamadeiras.  “ Sem falar no vínculo de carinho e proteção que o ato da amamentação constrói entre o bebê e a mãe, vida afora” reforça Silvio Cecchetto.

 Por Assessoria de Comunicação da ABCD –  Editabr

2019-07-26T11:25:16+00:00 julho 26th, 2019|Categories: Eventos, Notícia|0 Comentários