Julho/2017

//Julho/2017
Julho/2017 2017-07-17T14:45:57+00:00

Project Description

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CIRURGIÕES-DENTISTAS


A n o  I I  -  J u l h o    2 0 1 7

Editorial

 

Empenho, a ferramenta para alcançar metas

A recente aprovação no Senado do PSL 8/2017, que transforma o Brasil Sorridente em Programa de Estado evidencia como somando todas as forças da sociedade é possível obter vitórias que isoladas não alcançaríamos. Nesta meta que trará mais segurança à saúde bucal e integral da população (veja mais neste ABCD Online), estão envolvidos todos os atores do mundo político, da Odontologia e da Saúde: deputados e senadores de diversos partidos, dirigentes de várias entidades brasileiras representativas da Saúde e da Odontologia, os meios de comunicação e a própria população.

E é esta a atitude que defendo e devemos ter à frente do gerenciamento de crises e de soluções. Como crises não faltam a este País, vamos ser otimistas e desejar que também no meio político sejam semeadas ações construtivas para o bem do Brasil, a exemplo da aprovação pelo Senado de matéria de interesse da saúde da população desassistida. E é bom lembrar que esta é apenas uma etapa, por isto devemos nos empenhar.

Mas falando de soluções, quero destacar a importância de nossas eleições no âmbito da Odontologia, que teve início com a escolha de Claudio Miyake para dirigir o CRO-SP e de Wilson Chediek para presidir a APCD. Porém, elas continuam em andamento, agora para preencher novos postos-chave dentro da Associação Brasileira de Cirurgiões-dentistas, como no Conselho Nacional de Representantes (CNR), que elegerá no dia 4 de agosto seu titular. Em comum estes novos dirigentes têm, cada um em sua esfera, o dever de exercer suas responsabilidades com os olhos voltados à Odontologia, ao cirurgião-dentista e à saúde bucal e integral da população, tendo como resultado o fortalecimento da classe odontológica.

O Conselho Nacional de Representantes, que tem o protagonismo de ser a esfera de decisão máxima da ABCD, eleito democrática e representativamente, é um exemplo da consolidação das Seções e Regionais da entidade, nos Estados e municípios brasileiros. 

O que entendo como forma de aperfeiçoamento, reivindicação ou engajamento, tanto nos afazeres da Odontologia como nas políticas públicas de Saúde é o empenho que soma forças e esculpe decisões acertadas. É neste sentido, agrupados, que devemos fazer valer nossos objetivos e valores.

Em tempo, comemoramos a notícia de última hora sobre medida adotada pelo Ministério da Saúde (dia 13/7) de destinar verba para a Atenção Básica, aí incluídas equipes de saúde bucal (leia também neste ABCD Online).

Silvio Cecchetto
Presidente da ABCD

 

Por uma Política de Estado para a Saúde Bucal

A Associação Brasileira de Cirurgiões-dentistas (ABCD) festeja a nova conquista para que a Saúde Bucal - Programa Brasil Sorridente –se torne Política de Estado, de maneira que não fique mais à mercê de interesses de diferentes governos. A aprovação no Senado de projeto de lei, dia 5 de julho, imprime mais força em direção à sua inclusão no SUS, antiga e justa reivindicação das entidades odontológicas.

O PL do Senado (PLS) 8/2017 aprovado, que inclui o Programa Brasil Sorridente no SUS, de autoria do senador Humberto Costa (PT) e relatoria do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP - foto), segue agora para tramitação na Câmara dos Deputados. Uma vez aprovado pelo plenário da Câmara, irá para sanção presidencial.

O presidente da Associação Brasileira de Cirurgiões-dentistas (ABCD) Silvio Cecchetto, destaca principalmente o efeito danoso que vem ocorrendo com a Saúde Bucal do brasileiro devido às constantes mudanças ocorridas nos últimos anos: até 2013, o Sistema Único de Saúde (SUS) recebia do Governo Federal 10% do PIB brasileiro, verba que era direcionada ao SUS, ocasião em que os recursos financeiros permitiram mapear e caminhar rumo à realidade o atendimento à Saúde e à Saúde Bucal dentro do Programa Brasil Sorridente, que inclui ainda Unidades Básicas de Saúde e Centros de Especialidades Odontológicas, entre outras frentes de tratamento da população.

“Hoje são destinados apenas 10% da receita líquida do Governo Federal à Saúde, e esta verba ainda é atribuída aos prefeitos. Como fazer frente à imensa carência de assistência odontológica da população? Precisamos de destinação de verbas exclusivas para a Odontologia especificada de forma permanente no orçamento da Política de Estado para  Saúde Bucal. Sem essa conquista, não haverá avanços”, afirma Cecchetto, que se mostrou otimista com o anúncio feito pelo Ministério da Saúde, em notícia recebida no encerramento deste ABCD Online (veja mais), mas ainda sobre destinação de verbas de governo e não à Política de Estado.

O professor da Universidade de Brasília (UnB) Gilberto Pucca, ex-coordenador geral de Saúde Bucal do Ministério da Saúde por 13 anos, ressalta a importância da aprovação da lei PLS 8/2017: “O Brasil passará a ter uma Política Nacional de Saúde Bucal permanente, que não dependerá mais dos governos que se sucedem”.

 

Mais Notícias

 

MS libera R$ 1,7 bilhão para a saúde.
Saúde Bucal terá 2.299 novas equipes

O Ministério da Saúde investirá R$ 1,7 bilhão para qualificar e ampliar o atendimento à população em todo o país. A medida é resultado da economia obtida na atual gestão, que tem possibilitado reverter os recursos integralmente aos usuários do SUS, segundo nota do MS.. Essa ação possibilitará o custeio de novos serviços e ações na Atenção Básica, que inclui equipes de saúde da família, consultórios na rua, agentes comunitários de saúde e equipes de Saúde Bucal e foi oficializada no dia 13 de julho.
O ministro da Saúde Ricardo Barros afirmou que “colocamos em dia todas as portarias da Atenção Básica que estavam represadas desde 2014”.
Ele celebra o fato da pasta poder garantir o funcionamento de serviços existentes, além da habilitação de novos. O MS também está fazendo o transporte solidário com mais de mil vans para levar pacientes que precisam de atendimento, programando a entrega de ambulâncias e renovação de  57% da frota do SAMU 192.
Para onde vai a verba

R$771,2 milhões para Atenção Básica - Do total de recursos, R$771,2 milhões serão investidos anualmente na Atenção Básica, principal porta de entrada para o SUS: servirá para custeio de 12.138 agentes comunitários de saúde, 3.103 novas equipes de Saúde da Família, 2.299 novas equipes de Saúde Bucal, 882 Núcleos de Apoio à Saúde da Família, 113 novas equipes de Saúde Prisional e 34 consultórios na rua.
Ao todo,  1.787 municípios estão sendo beneficiados. Isso significa que mais de 22 milhões de brasileiros passam a ter mais acesso aos serviços de saúde pública.
Para o presidente do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, Mauro Junqueira, esses anúncios atendem a um pedido antigo dos municípios. “As medidas anunciadas hoje são um grande anseio e reivindicações dos municípios. Temos há alguns anos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF), UPAs, esperando esta habilitação. Esse anúncio de hoje resgata um compromisso assumido de destinação de recursos para prestar  atendimento à população”, ressaltou.
1 bilhão para ambulâncias -  R$ 1 bilhão serão destinados à compra de ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) e outros veículos para atender as necessidades da população, que chegará a ter 83.4% de cobertura.

Os recursos serão destinados também para a área de Média e Alta Complexidade e  ações de gestão.


Lions Guarulhos Norte
presta homenagem à ABCD

O presidente do Lions Guarulhos Norte, Marcos Martins, entregou a Silvio Cecchetto, em junho último, placa comemorativa pela contribuição da Associação Brasileira de Cirurgiões-dentistas às campanhas de Prevenção e Orientação de Câncer Bucal, que ocorreram simultaneamente nos últimos dois anos à Campanha Sorria para a Vida da ABCD, com o atendimento de quase mil pessoas, no Parque Maio, centro de Guarulhos.


Pradópolis recebe campanha da ABCD

Com  a equipe da Prefeitura de Pradópolis, cidade localizada na Região Alta Mogiana do Estado de São Paulo, a Campanha Sorria para a Vida realizou  dia 14 de junho ação de prevenção de diagnóstico precoce para a população da cidade.

Foram atendidas 168 pessoas, sendo encontrados 10 casos de lesões suspeitas encaminhados para hospitais conveniados da região de Ribeirão Preto que dão apoio à ação.

Presentes ao evento o vice-presidente da ABCD, Lúcio Antonio Pereira,  o prefeito da cidade  Silvio Buchera, Claudio Miyake, presidente do CRO-SP e integrantes do Departamento de Saúde e do Fundo Social de Solidariedade.


Campanha Sorria para a Vida
disputada por várias cidades

A Campanha Sorria para a Vida, para detecção precoce de câncer bucal realizada pela ABCD desde 2014, está com agenda disputada por várias cidades que desejam receber a ação voluntária que já atendeu mais de 20 mil pacientes.  Neste ano estão previstas ainda campanhas nas cidades de Mairiporã, Rio Claro, São Lourenço da Serra, Santos, bairro de Vila Prudente (SP), Jundiaí, Guarulhos, São Bernardo do Campo, Taubaté, Assis, Barretos, Registro, Jacareí, Av. Paulista (que abre e encerra a programação anual) e em cidade de Santa Catarina.

A Sorria para a Vida é realizada em conjunto pela ABCD, APCD, ABIMO e CRO-SP.

As entidades interessadas em receber a Sorria para a Vida devem entrar em contato com a Coordenação da campanha para agendar a data.

Coordenação: Joaquim Lourenço/ Editabr Comunicação e Editora

(11) 981829122 – (11) 3253 6485

jrlourenco@editabr.com.br