“Saúde tá no corpo. Saúde tá no cuidado. Saúde tá na boca”

Conselhos de Odontologia lançam campanha de conscientização e prevenção direcionada ao Dia Mundial da Saúde

Neste Dia Mundial da Saúde, 7 de abril, os Conselhos de Odontologia reforçam a necessidade de conscientizar a população sobre a importância de visitar o Cirurgião-Dentista rotineiramente, assim como acontece com outras especialidades da área da saúde. A campanha “Saúde tá no corpo. Saúde tá no cuidado. Saúde tá na boca” é de iniciativa do CRO-SP com foco na importância da Odontologia para a promoção da saúde de forma global.

A campanha contará com a divulgação de peças publicitárias, materiais informativos, mídia indoor, veiculação em rádios, TVs, entre outros meios de comunicação e também será disponibilizada para outros conselhos regionais.

Saúde bucal e saúde geral: entenda essa relação   

O conceito da campanha “Saúde tá no corpo. Saúde tá no cuidado. Saúde tá na boca” se baseia na relação estabelecida entre a boca e as demais funções do organismo.

A ação desperta para a importância de difundir e tornar comum a ideia de que a saúde geral começa pela boca e que a atenção à saúde bucal, por meio de cuidados e da prevenção, é essencial para evitar desde doenças como a cárie, a gengivite e a periodontite, até patologias como o câncer bucal, como reforça a Cirurgiã-Dentista Sofia Takeda Uemura, habilitada em Odontologia Hospitalar, Mestre em Odontologia e Doutora em Ensino de Ciências.

A Cirurgiã-Dentista explica que a periodontite – ou doença periodontal – é uma doença inflamatória que atinge os tecidos de suporte dos dentes (ligamento periodontal e o osso), podendo causar reabsorção óssea, retração da gengiva, mobilidade e até perda dos dentes. Além disso, Sofia chama a atenção para quadros mais graves, com sérias consequências para o organismo, como a endocardite bacteriana, que é uma complicação causada por bactérias oriundas de infecção bucal que podem se espalhar na corrente sanguínea e se alojar nas válvulas cardíacas, comprometendo o funcionamento do coração.

Outro exemplo citado pela Cirurgiã-Dentista é o câncer bucal. Seu aparecimento é favorecido pelo uso de tabaco e álcool. Identificado e diagnosticado pelo Cirurgião-Dentista e cuidado pelo oncologista, o câncer bucal tem maior chance de eficácia no tratamento quando descoberto na fase inicial. “Esse câncer envolve estruturas muito delicadas da face e, dependendo do estágio, o tratamento cirúrgico pode envolver a remoção de língua, mandíbula e maxilar. São tratamentos muito invasivos que podem deixar o paciente mutilado”, acrescenta.

De acordo com uma pesquisa do Instituto Nacional de Câncer – INCA, no triênio de 2020/2022, a estimativa de novos casos de câncer de boca é de 15 mil por ano, sendo os homens com idade superior a 50 anos o público mais afetado (70% dos casos diagnosticados). Porém, aproximadamente ¼ dos casos podem ocorrer em pessoas mais jovens.

Além dos aspectos relacionados à saúde física geral, a saúde mental também pode ser impactada quando há um prejuízo relacionado à dentição e, consequentemente, à imagem da pessoa. Da mesma forma, fatores psicológicos relacionados a doenças como a depressão afetam a autoestima e ocasionam o abandono dos cuidados pessoais e dos hábitos relacionados à higiene bucal.

Portanto, para se alcançar um maior bem-estar, é necessário enxergar que cuidar da saúde geral obrigatoriamente envolve cuidar da saúde bucal por meio de informação, prevenção e, quando necessário, tratamentos restauradores e reabilitadores, sempre com o acompanhamento de um Cirurgião-Dentista.

 

Fonte: www.cfo.org.br